Voltar ao Blog
Blog Img

A sua Diversidade e esforços de inclusão incluem pessoas com deficiência?

As empresas há muito que são motores de mudança social. Em todo o mundo, as empresas começaram a reconhecer desafios e injustiças vitais, tais como as alterações climáticas e as disparidades salariais. A diversidade e a inclusão é uma dessas questões que definem, e, embora tenham sido feitos enormes progressos no sentido da igualdade através das fronteiras de género, raça e orientação sexual, um aspeto da D&I é muitas vezes negligenciado: a deficiência.

A Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência define aqueles para quem advoga como "pessoas com deficiências físicas, mentais, intelectuais ou sensoriais de longa duração que, quando confrontados com determinados obstáculos, estes últimos podem dificultar a sua participação plena e efetiva na sociedade numa base de igualdade com os outros".

Se a sua empresa quer mostrar ao mundo que reconhece verdadeiramente o valor em todos os colaboradores, há muitos passos que os líderes podem dar imediatamente para melhorar a inclusão da deficiência nos seus processos de contratação, na acessibilidade do seu local de trabalho, e nos produtos e serviços que oferece.

Estar aberto a potenciais colaboradores.

Comece por compreender as barreiras que desencorajam as pessoas com deficiência de se candidatarem ao trabalho para si - por exemplo, formato da candidatura, acessibilidade , e mesmo a linguagem das descrições de funções. Em alguns casos, as empresas incluirão requisitos genéricos para tarefas físicas, tais como conduzir, dactilografar, levantar, ou a capacidade de se sentar por longos períodos, mesmo que a função não os exija na verdade. Estas são descrições codificadas que eliminam qualquer pessoa com uma deficiência no primeiro passo. As práticas normais de entrevista presencial também podem prejudicar as pessoas com deficiência, e o preconceito muitas vezes leva a decisões de contratação.

Criar locais de trabalho acessíveis.

A fim de manter os seus colaboradores, a acessibilidade e a inclusão devem estender-se para além do processo de recrutamento. As pessoas com deficiência precisam de se sentir incluídas e confortáveis com o seu espaço físico de trabalho, e a conceção do escritório precisa de ter isto em conta.

Peter Grauer, presidente da Bloomberg, disse no palco, em Davos, este ano, que nos últimos 12 meses, a Bloomberg assegurou que os seus 4,5 milhões de metros quadrados de bens imobiliários em todo o mundo são acessíveis a pessoas com deficiência, para garantir que todos os colegas possam vir trabalhar todos os dias. A Bloomberg já lançou formação de sensibilização para a deficiência a 1.000 dos seus 18.500 funcionários, o que levará o programa a 6.000 chefes de equipa e gerentes até ao final de 2020.

Desde o ambiente físico à estrutura e tecnologia do dia de trabalho, há várias formas de alargar a acessibilidade.